Guarda municipal armado surta dentro de UPA após pacientes pedirem pelo uso de máscara; VÍDEOS - 103 FM Curimataú

Guarda municipal armado surta dentro de UPA após pacientes pedirem pelo uso de máscara; VÍDEOS

single-image

Um guarda civil municipal agrediu e ameaçou pacientes com uma arma em uma unidade de saúde de Praia Grande, no litoral de São Paulo, após receber pedidos para que colocasse a máscara facial no rosto, neste sábado (13). Fardado, ele aguardava atendimento médico no local. A Prefeitura de Praia Grande disse que um processo administrativo será instaurado para analisar de forma oficial o ocorrido.

Ao G1, uma paciente de 33 anos, que preferiu não se identificar, relatou o que aconteceu na Unidade de Pronto Atendimento Quietude, por volta de 20h deste sábado. Ela, que estava acompanhada do pai, viu o momento em que o guarda civil municipal chegou ao local com outros dois colegas. Os três estavam fardados.

O guarda, que não teve seu nome revelado, estava no local para ser atendido após um pico de pressão alta durante o serviço. Segundo a testemunha, ele já chegou na unidade de saúde aparentando irritação. “Parecia que ele não queria passar no médico. Os colegas diziam à ele que tinha que passar sim”, recorda.

Enquanto estava na fila para ser atendido, com a máscara no queixo, o guarda civil municipal foi alvo de reclamações dos pacientes da unidade de saúde. Eles pediam que ele usasse o item de proteção adequadamente. Irritado, ele agrediu uma jovem paciente que estava na fila, atrás dele.

Neste momento, pacientes e profissionais da unidade de saúde se mobilizaram para atender a jovem, que caiu no chão após ser agredida. O guarda foi, novamente, alvo de reclamações e indignação por parte das pessoas que estavam no local. Ele chegou a sair da unidade de saúde e ficar na calçada.

No entanto, minutos depois, de acordo com o relato da testemunha, ele voltou ao pronto-socorro já com uma arma em punho ameaçando a todos, mas não chegou a atirar em ninguém.

“Ele gritava ‘vou acabar com isso tudo’. Os pacientes se desesperaram e todo mundo começou a entrar nas salas e a fechar as portas”. Imagens obtidas pelo G1 mostram os pacientes fazendo barricadas após as ameaças.

O guarda foi contido pelos companheiros e levado para casa. A Polícia Militar foi acionada e esteve no local, mas a Guarda Civil Municipal assumiu a ocorrência.

Fonte: G1/SP
Foto: Reprodução